BUSCAR NO BLOG

Loading

domingo, 20 de março de 2016

Tempestade de Emoções












Arte: Carlos Gossel

Chegando lentamente
Uma ventania sem avisar,
Vento frio se alastrando
Chegando para dominar.

Força de tempestade
Que abala minhas emoções,
Desestrutura meu ser
Desarma meu coração.

Folhas jogadas ao vento
A poeira na minha visão
Rodeia o meu corpo
Leva embora minha razão.

Vento que me faz sonhar,
Não sei de qual direção
Essa tempestade surgiu,
Relâmpagos e trovões.

Cai a tempestade,
A água molha minha carne,
Mas não consegue esfriar
Meu coração acelerado.

Tempestade de amor
Prazer à flor da pele
Loucas sensações
Por ti, em mim, tudo expele.

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Diamante do Tempo

Por: Carlos Alberto Gossel Pereira

No viver que a vida dá
Algum valor ganhamos
A experiência nos lapida
Do real nos inteiramos

Sofrimentos, espinhos grandes,
Alegria, ilusão necessária,
Decepções, facas afiadas,
Desilusões, tijolos na estrada

Se o chorar me faz sofrer
Se o sorrir me faz viver
Se o desprezo me deixa forte
Não há nada o que temer

Idade que nos faz bem
Envelhecer é tão inevitável
Aprendesse o que se quer
O tempo é imperdoável

Coração forte e valente
Que me leva por essa vida
Com tantas amarguras
Não me deixa feridas

Vida que brilha em meu ser
Sentimentos quase inquebráveis
Experiência tão valorosa
Virei uma pedra tão cara

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Vazio

















Foto: Manukaw/www.fotolog.com
Por Carlos Alberto Gossel Pereira

Quero algo em que me segurar
O vazio se expande e o que será?
Meu amor, que amor?!
Noites sem finais e de dor
Sentimentos frios e ruins
Não é o começo e nem o fim
Dias que não possuem sentido
Amor que já foi perdido

Dói em meu coração
Ter guardado tanta paixão
Por um ser humano vil
Que meu coração desistiu
De ser feliz nessa vida
Reabriu todas as feridas
Horas tão inexplicáveis
Relacionamentos descartáveis

Depois da transa um vazio
Dolorido e sofrido calafrio
Coração em busca de prazer
O amor longe de aparecer
Difícil é esse amar
Não responde ao respirar
Perdido e desiludido meu ser
A vida, com certeza, me esqueceu

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

O poeta Carlos Gossel foi homenageado no dia 5 de setembro de 2015

Foto: Donizete Matos

A Escola Estadual Duque de Caxias homenageou no desfile de 5 de setembro de 2015, o poeta Carlos Gossel. O poeta desfilou em carro na referida escola. Essa homenagem foi considerada louvável, por muitos, em virtude da pouca valorização a que se dá aos escritores da região. O escritor Carlos Gossel lançou um livro em 2011 chamado "O Poeta da Amazônia".

O desfile de 5 de setembro é em comemoração à elevação do Amazonas à Categoria de Província, aonde desfilam todas as escolas das redes municipal e estadual, indígenas e não indígenas, brasileiras e colombianas.

A Escola Estadual Duque de Caxias, localiza-se na Avenida Pernambuco, na Vila Militar, e é uma das escolas tradicionais de Tabatinga, e sempre é destaque nos desfiles da cidade.

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Relato de Uma Madrugada

Foto: Vadebike.org
Por: Carlos Alberto Gossel Pereira

A noite é longa
O silêncio noturno é mortal
O dia demora a chegar
A madrugada faz companhia
As lembranças atormentam
O choro talvez chegará.
O frio na alma
O frio da cama
O olhar nas paredes
Olhar para o teto
Olhar cansado de olhar.
Esperar mais um dia
Um dia de agonia
Um dia de recordações
Tortura de emoções
Um amar sem freios
Uma busca sem encontro
Jogado no meu canto
Imagens na mente
Desejos tão ardentes
Sofrendo o abandono
Jogado no esquecimento
Perdido no meu mundo
Um ser moribundo
Uma certa angústia
Que não se sabe explicar
Querendo amar
E o tempo não quer passar.
Depressão
Faltando-me o sono
Esperando um amanhecer
E para quê??
Se lentamente...
Continuarei a sofrer.

quinta-feira, 28 de maio de 2015

Quando o Vento Nos Tocar...

Foto: www.centrodeestudos.org
Por: Carlos Alberto Gossel Pereira

Depois que o sol nasceu descobri o quanto te amo,
E tudo que pensei não foi nenhum engano,
Noite absurda foi essa que passou,
Pior o pensamento que no coração ficou,
Senti por uns momentos que tinha tudo haver,
Com você junto a mim senti maior prazer,
Beijos tão gostosos que nunca mais eu sentirei,
Beijos de amor que nunca mais esquecerei.

Instantes da minha vida que pareciam sonhos,
Segundos preciosos que me deixaram tão tristonho,
Teus lábios juntos aos meus, eclipse do amor,
Lábios morenos com seu jeito sedutor,
Deslizavam uns no outros sem chance de parar,
Mostrando para o mundo que podemos nos amar,
Ainda temos chance do vento nos tocar,
Na delícia do seu beijo está o meu respirar.

Até agora, nessa hora, penso que estou te tocando,
Estranha sensação que parece que estou delirando,
Um sonho, uma ilusão, na lembrança uma canção,
Viagem sem retorno, final com a solidão,
No fundo, a realidade é que você me iludiu,
Deu-me toda a atenção e depois de mim sumiu,
Amanhã é outro dia e eu vou te buscar,
E arrancar de você a verdade para te amar.